Diário de Bordo I Dia 3 I Como okupar um rio


Partilhar / Share

O Jamor, as minas e o golfe

Fizemos a visita da praxe à Natalina, antes irmos ter com o Sr. Fernando.

 

Visitamos as Minas do Brejo e imediatamente percebemos a sua importância na economia familiar do Sr. Fernando: regar a cultura agrícola, dar de beber aos animais e, no passado, fonte de água para todos. As minas também passaram a ajudar no lazer, quando perto de duas delas o Sr. Fernando construiu um espaço de refeições e descanso.

 

 

Depois fomos ao Lisbon Sports Club, em Belas, onde o Hugo, o greenskeeper do campo de golfe, já nos esperava no seu buggy. Estava pronto para nos levar a passear ao longo da porção do Rio Jamor que corre na propriedade do clube. Informou-nos que fazem com regularidade um trabalho de limpeza e de manutenção de margens, aproveitando o rio como um dos obstáculos na prática do golfe. Já no inverno, é também o rio que lhe dá muitas dores de cabeça, quando galga as margens e inunda o campo. Mas a ribeira dá um toque especial ao campo, muito admirado por quem lá joga.

 

Deixar um comentário