Manifestações proibidas em nome da “ordem pública” e “segurança”  O European Civic Forum (Forum Cívico Europeu), o Civil Liberties Union for Europe, a CIVICUS, a Rede Europeia contra o Racismo e o Solidar apelam à Comissão Europeia para que aborde ao mais alto nível político as restrições ilegais ao direito à liberdade de reunião pacífica e de expressão impostas pelos Estados-membro desde a dramática escalada de violência em Israel e na Palestina no ano passado.  Um novo relatório, publicado pelo European Civic Forum, demonstra que os governos europeus reprimiram repetidamente indivíduos e organizações que expressaram solidariedade com o povo palestiniano em marchas, manifestações e atividades culturais.  Seis meses após 7 de outubro, o povo na Europa continua a sair às ruas para protestar pacificamente contra a violência, demonstrar solidariedade com as vítimas e apelar ao respeito pelos direitos humanos e pelo direito internacional.  Estes protestos estão a ocorrer num contexto […]

Protestos de solidariedade com o povo palestiniano proibidos em pelo menos 12 países da UE, revela novo relatório


No decorrer da grave crise de habitação que enfrentamos e que não parece ter fim à vista, surgem outras problemáticas associadas aos espaços que usamos para morar.   Quando se fala de habitação, falamos também de redes de apoio, vizinhança e comunidade. Já não se criam os laços que deviam surgir naturalmente pela proximidade e convivência. Os idosos não têm rede de apoio, ficando muitas vezes fechados na solidão da sua casa. Os espaços para crianças, para a cultura e para a socialização não são prioritários em relação à especulação imobiliária. Tudo isto é retirado à população, destruindo, ou não dando oportunidade a construir, comunidade, solidariedade e segurança.  Os espaços culturais e sociais também sofrem com a gentrificação das cidades, acabando por não conseguirem acompanhar o valor das rendas e a consequente não renovação dos contratos. É graças a estes espaços que são possíveis reuniões, conversas e debates sobre diferentes temas. […]

Sem espaços comunitários não há cidade: só há cimento!



As reações aos protestos das ativistas do Climáximo e da Greve Climática Estudantil deviam servir para refletirmos sobre a vida que levamos e o sistema que nos organiza.  Uma das reações mais divulgadas é de uma pessoa que, indignada, disse “Tenho que trabalhar para alimentar os meus filhos”. Tendo em conta que é isso que a maioria da população faz, facilmente qualquer pessoa se identifica com tal desabafo. Será que este tipo de reacção resulta de um grande gosto pelo seu trabalho e pelo prazer de vender o seu tempo para conseguir alimentar os filhos? Ou há aqui uma frustração escondida, que nos afecta a praticamente todos, pela vida quotidiana e custosa que nos obriga a trocar tempo (que podia ser passado com os tais filhos) por dinheiro para os, pelo menos, alimentar?  Existem também reações a defender “outras formas de ação”. Primeiro, já foram feitas e continuam a acontecer […]

Porque nos revoltamos quando nos bloqueiam a estrada? 


Caro Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa,Caras e caros deputados à Assembleia da República,  Nas últimas semanas, testemunhámos perplexos uma série de incidentes perturbadores que envolvem detenções arbitrárias, repressão policial dentro de universidades e até mesmo violência física contra ativistas climáticos que têm exercido o seu direito fundamental de manifestação não violenta, consagrado na Constituição Portuguesa no artigo 45º.   A crescente repressão policial, com relatos de detenções prolongadas, táticas intimidatórias e uso excessivo de força, não coloca apenas em risco a integridade física e emocional dos e das ativistas, como também representa uma ameaça à própria essência da democracia, da liberdade de expressão e do direito à manifestação.  É imperativo sublinhar que todas as ações empreendidas pelos ativistas são não violentas sendo sim orientadas para a ação coletiva, com a finalidade de enfrentar a crise climática. Importa lembrar que todas estas ações e exigências se encontram, alinhadas com a […]

Carta aberta pelo fim da repressão policial contra ativistas climáticos 



Projecto ERASMUS+ ; Programa Erasmus+ Ação Chave 1: Mobilidade individual – Educação de adultos Com este projecto realizado durante 2022, a Academia Cidadã desafiou-se a: Este projecto foi realizado no âmbito de Erasmus+ KA1 Adult education staff mobility e em parceria com o Col·lectiu Eco-Actiu. Actividades Efectuadas Curso: Strengthening the Ecology of Social Movements in EuropeDatas: Outubro 2022Descrição: https://ulexproject.org/courses_events/ecology_of_movements-training/ Curso: Integral Activist Training for trainers PlusDatas: Setembro 2022Descrição: https://ulexproject.org/courses_events/integral-activist-training-for-trainers/ Curso: Strategy and narrativeDatas: Novembro 2022Descrição: https://ulexproject.org/courses_events/strategy-training/ Participantes Este projecto permitiu capacitar 10 pessoas. Os participantes foram escolhidos através de um processo de seleção, de acordo com os seguintes Critérios de Seleção: Disseminação e Implementação Cada participante teve como desafio propor o formato de disseminação e implementação das aprendizagens que adquiriu, tendo este que ser aprovado pela gestora do projecto. Alguns exemplos de actividades de disseminação são workshops, skillshares, formações e resumo escrito das aprendizagens. Seleção de participantes A seleção de […]

Erasmus+: Capacitação entre ativistas da Europa


From the 10 years of activity of the Citizen Academy, we highlight the awareness work of the projects ‘#neveragain Talks’ and ‘Citizenship Academy Panorama.'” #neveragain Talks: Every two months, on the third Tuesday, we launched a new question based on a prejudice propagated by extreme-right movements. We reflected and found strategies to dismantle discriminatory, xenophobic, and simplistic discourses. #neveragain Talks aimed to value and strengthen democracy by identifying and deconstructing antidemocratic practices and discourses. Citizenship Academy Panorama – An informative bulletin published every 15 days focusing on news, comments, films, books, images, events, and initiatives, lasting about a year. In 2022, on May 15th, the Citizen Academy celebrated its 10th anniversary and revisited all 16 activities carried out in terms of awareness, community work, networking, and mobilization. Over these ten years, the Citizen Academy engaged with 113 partners, and activities took place in various countries such as Portugal, Romania, Austria, […]

10 years of Citizenship Academy – Raising Awareness 2



From the 10 years of activity of the Citizen Academy, we highlight the community and mobilization activities of the projects ‘How to Occupy a River’ and ‘Red Line’.” How to Squat a River – Using the Jamor River as a case study, this project aimed to study and develop ways for a community to enhance its sustainable relationship with the river, encompassing economic, social, and environmental aspects. Red Line – The project involved knitting against oil and gas exploration in Portugal, aiming to bring together activists and non-activists for climate justice to knit Red Lines against fossil fuel exploitation in Portugal. Over four years, more than two thousand people knitted 1200 meters of Red Line, involving 46 partners from across the country and some international ones in over 100 events nationwide, excluding Madeira. The project successfully achieved its objectives as all contracts for fossil fuel exploration in Portugal were canceled. […]

10 years of Citizenship Academy – Community Building and Mobilization


From the 10 years of activity of the Citizen Academy, we highlight the community activities of the projects ‘Colored Ball,’ ‘Other Championships,’ and ‘Reinvented World Map.'” Colored Ball – Community intervention project involving youth aged 6 to 30 in situations of social vulnerability, using street soccer as a means of integration. A total of 256 training sessions were conducted in the neighborhoods of Horta Nova and Cabrinha, along with 38 activities for intercultural exchange and various street soccer games, tournaments, and theoretical training sessions. The main partner was the National Street Football Association. Other Championships – Community empowerment project in the neighborhood where the Citizen Academy is located, Quinta do Cabrinha. It used street soccer and sustainable tourism to achieve three objectives: community building, enhancement of public space, and opening the community to the surroundings. The project involved various partners, including the Alcântara Parish Council, the National Street Football Association, […]

10 years of Citizenship Academy – Community Building



From the 10 years of activity at Citizenship Academy, we highlight the networking efforts in the area of “Right to Housing,” the “LGBTI+ Pride March in Lisbon,” and the “European Civic Forum.” Right to Housing – “Cities in Transition” and the “Living in Lisbon” movement – The “Cities in Transition” project was based on exchange of experiences about local grassroots initiatives among project partners, organizations from five European cities: Amsterdam, Bucharest, Berlin, London, and Lisbon, with events held in Amsterdam and Bucharest. The “Living in Lisbon” movement, in which Citizenship Academy participated for three years, involved over thirty associations and more than a dozen researchers from various fields. It played a crucial role in putting the right to housing and the right to the city on the agenda of the media and authorities, leading to the creation of the Secretary of State for Housing and the drafting of the Basic […]

10 years of Citizenship Academy – Networking 1


From the 10 years of activity at Citizenship Academy, we highlight the network-building efforts of the “Citizens’ Rights” project, “International Exchanges,” and the “TROCA Platform.” Citizens’ Rights – A series of workshops in schools across the country covering topics such as non-discrimination, human rights, digital privacy, and citizenship. Thematic meetings of EU activists discussed how individuals and collectives can protect and enhance their rights. Citizenship Academy participated in four meetings outside Portugal on the themes of “Culture,” “Legislation,” “Media,” and “Policies.” In Portugal, an event on “community” brought together 30 people over three days. International Exchanges – Collaborations with a dozen international partners in four European countries – Romania, Austria, Spain, and Georgia – involving 15 people over a year. Participation in the TROCA Platform – We participated for three years in the TROCA Platform, attending regular meetings and collecting signatures for the Citizen Initiative, which reached 16,000 signatures in […]

10 years of Citizenship Academy – Networking 1