What we do


A Academia Cidadã celebra dia 15 de maio dez anos de existência e, na próxima terça-feira, às 21:30, em parceria com o “Setenta e Quatro”, conversamos online à volta da questão “vivemos no país mais seguro do mundo ou no da CMTV?” O mote da Academia Cidadã foi lançado pelas pessoas que organizaram o Protesto da Geração à Rasca, de 12 de março de 2011, que inaugurou uma nova forma de participação cidadã na Europa, ao ser convocado nas redes sociais e sem apoios partidários ou institucionais. Pouco mais de um ano depois, a 15 de maio de 2012, foi registada a Academia Cidadã, com o objetivo de impulsionar a cidadania ativa e a construção de raízes de desenvolvimento com princípios de sustentabilidade social, económica e ambiental. A comemoração do aniversário acontecerá na próxima terça-feira, às 21h30, numa conversa transmitida em direto no Facebook da Academia Cidadã. A participação será […]

Jornalismo e segurança nos 10 anos da Academia Cidadã


A 18 de janeiro de 2022, às 21h30, convidamos-te a conversar com:  ANA GOMES, segunda candidata mais votada em eleições presidenciais (2021), ex-Eurodeputada, ex-Embaixadora, membro do Partido Socialista.  SUSANA COROADO, Presidente da Transparência Internacional Portugal, investigadora no Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e bolseira Re:Constitution.  A política corrompe todas as pessoas que nela se envolvem?  Estará a corrupção relacionada com a economia e/ou a cultura de um país?  Serão umas pessoas mais corruptíveis que outras por questões genéticas ou étnicas? Filho de corrupto, corrupto será?  Os políticos são o reflexo de um povo? Está apenas presente na política ou existe microcorrupção generalizada no nosso país?  Em Portugal, 88% das pessoas acreditam que há corrupção no Governo e 41% pensam que a corrupção aumentou no último ano, segundo um estudo da Transparência Internacional feito em 2020.  A cada dois meses, na terceira terça-feira, lançamos uma nova pergunta baseada num preconceito veiculado por movimentos de extrema-direita. Vamos refletir e encontrar estratégias para desmontar discursos discriminatórios, xenófobos e simplistas.  Conversas #nuncamais […]

Os políticos são todos corruptos?



Inscrições encerradas. Subscreve a nossa newsletter para saberes quando se vai realizar o próximo encontro de integração. Participa online no encontro de integração na Academia Cidadã, de 22 de novembro, às 19h, onde vamos explicar como podes participar e ajudar a criar uma sociedade mais livre, justa, consciente, crítica, solidária e fraterna. São bem-vindas pessoas de qualquer parte do país.  Preocupa-te o desrespeito pelos direitos humanos?  Preocupa-te que o aquecimento global seja ignorado por quem tem poder de o impedir?  Queres fazer parte de um grupo de pessoas que atuam para dar voz a quem não a tem?   Gostavas de trabalhar coletivamente para influenciar decisões políticas?  É natural sentires que a tua ação individual tem pouco impacto. Por isso, junta-te a outras pessoas e vamos mudar o mundo!   Temos projetos onde podes participar e estamos abertas/os a novas ideias!   Preenche o formulário e inscreve-te no encontro de integração.  No dia […]

Queres integrar-te na Academia Cidadã? Clica aqui!


A 16 de novembro, às 21h30 (hora PT) e 18h30 (hora BR), convidamos-te a conversar com:  RITA VON HUNTY (Guilherme Pereira), youtuber, sociólogo, drag queen  JOSÉ MANUEL PUREZA, deputado do Bloco de Esquerda  Serão a extrema-direita e a extrema-esquerda polos opostos do mesmo espetro?  Será a esquerda radical a defensora suprema dos direitos humanos e do progresso ou a fonte de destruição dos costumes e da propriedade privada?  Será a extrema-direita a defensora suprema dos bons costumes e da tradição ou fonte de discriminação e de um regime previsivelmente violador dos direitos humanos?  Não é extremista impormos que todos sejamos moderados?  A cada dois meses, na terceira terça-feira, lançamos uma nova pergunta baseada num preconceito veiculado por movimentos de extrema-direita. Vamos refletir e encontrar estratégias para desmontar discursos discriminatórios, xenófobos e simplistas.  Conversas #nuncamais é uma das atividades da campanha #nuncamais para valorizar e fortalecer a democracia, identificando e desconstruindo práticas e discursos antidemocráticos.  25 de Abril sempre, fascismo #nuncamais 

Extrema-direita e extrema-esquerda são a mesma coisa?



Convidados: Diogo Faro (humorista)Manuel Monteiro (jornalista) Só podemos fazer humor com um homem, branco, cis e hetero?  Quem define os limites entre humor negro, piada de mau gosto e discriminação?  O politicamente correto é uma ferramenta para travar a liberdade de expressão?   Trata-se de um ataque à língua como património cultural imaterial ou uma forma de incluir pela linguagem?  Teremos entrado numa ditadura do discurso?  Esta conversa aconteceu a 21 de setembro às 21:30 exclusivamente online, em livestream no Facebook e Instagram da Academia Cidadã e através de videoconferência.

VÍDEO: Diogo Faro e Manuel Monteiro “O politicamente correto limita a liberdade de expressão?”


3
Preocupa-te o desrespeito pelos direitos humanos?  Preocupa-te que o aquecimento global seja ignorado por quem tem poder de o impedir?  Queres fazer parte de um grupo de pessoas que atuam para dar voz a quem não a tem?   Gostavas de trabalhar coletivamente para influenciar decisões políticas?  É natural sentires que a tua ação individual tem pouco impato. Por isso, junta-te a outras pessoas e vamos mudar o mundo!   Participa no encontro de integração na Academia Cidadã de dia 27 de Setembro, às 19h, onde vamos explicar como podes participar e ajudar a criar uma sociedade mais livre, justa, consciente, crítica, solidária e fraterna.  Temos projetos onde podes participar e estamos abertas/os a novas ideias!   Preenche este formulário e inscreve-te no encontro de integração.  No dia do encontro serás contactada/o para saberes como participar.   

Queres integrar-te na Academia Cidadã? Clica aqui!



A 21 de setembro de 2021, às 21h30, convidamos-te a conversar com:  DIOGO FARO, humorista MANUEL MONTEIRO, autor do livro “Sobre o Politicamente Correcto”,  jornalista Só podemos fazer humor com um homem, branco, cis e hetero?  Quem define os limites entre humor negro, piada de mau gosto e discriminação?  O politicamente correto é uma ferramenta para travar a liberdade de expressão?   Trata-se de um ataque à língua como património cultural imaterial ou uma forma de incluir pela linguagem?  Teremos entrado numa ditadura do discurso?  A cada dois meses, na terceira terça-feira, lançamos uma nova pergunta baseada num preconceito veiculado por movimentos de extrema-direita. Vamos refletir e encontrar estratégias para desmontar discursos discriminatórios, xenófobos e simplistas.  Conversas #nuncamais é uma das atividades da campanha #nuncamais para valorizar e fortalecer a democracia, identificando e desconstruindo práticas e discursos antidemocráticos.  25 de Abril sempre, fascismo #nuncamais 

O politicamente correto limita a liberdade de expressão?


2
Conversa #nuncamais Especial A 12 de março de 2021, às 21h30, dia que marca o décimo aniversário da primeira manifestação de massas na Europa convocada por um grupo de amigos através das redes sociais, três das pessoas que organizaram o Protesto da Geração à Rasca e que são ativistas da Academia Cidadã, Alexandre de Sousa Carvalho, Francisco Venes e João Labrincha, moderam uma conversa para a qual convidam duas pessoas a refletir sobre o que se fez daí até ao presente. E sobre o que precisamos de fazer pelo e no futuro. Sara Araújo, investigadora no CES-UC sobre direitos humanos e interculturalidade, acesso à justiça, justiça comunitária, ecologia de saberes e de justiças. Sinan Eden, fundador e ativista do coletivo Climáximo, conhecido por um combate às alterações climáticas que não se separa da luta pelos direitos humanos, equidade na distribuição de recursos e de poder. Na terceira terça-feira de cada […]

10 anos depois da Geração à Rasca, continuamos?



Original: https://www.dn.pt/lusa/empresa-australiana-garante-prospecao-de-gas-sem-fratura-hidraulica-na-regiao-de-leiria-10115256.html A operadora australiana Australis, Oil & Gas, que tem as concessões da Batalha e Pombal, na região de Leiria, garantiu hoje que a exploração não será efetuada com recurso à fratura hidráulica. Lusa31 Outubro 2018 — 17:16 Facebook Twitter Partilhar Tópicos Economia Segundo explicou o presidente da empresa australiana, Ian Lusted, num encontro com jornalistas, nas sondagens será utilizada uma técnica idêntica à das captações de água. Na sessão de esclarecimento, Ian Lusted assegurou que a empresa submeteu “voluntariamente” o planeamento das sondagens previstas à apreciação de um estudo de impacto ambiental, que se encontra na Agência Portuguesa do Ambiente (APA). “O poço de avaliação na concessão da Batalha está previsto ser perfurado na vertical até uma profundidade aproximada de 2.900 metros, o que será idêntico na concessão de Pombal”, afirmou Ian Lusted, acrescentando que as explorações não estão perto de zonas Reserva Agrícola Nacional e Reserva Ecológica Nacional, de rios, de […]

Empresa australiana garante prospeção de gás sem fratura hidráulica na região de Leiria


Original: https://www.acorianooriental.pt/noticia/mais-de-60-organizacoes-de-varios-paises-apelam-a-boicote-a-eurovisao-em-israel-296738 Mais de 60 organizações, a maioria de defesa dos direitos LGBTQIA, de vários países, Portugal incluído, apelaram aos membros daquela comunidade para que boicotem este ano o Festival Eurovisão da Canção, caso este se realize mesmo em Israel.30 de Jan de 2019, 16:17 Autor: Lusa/AO Online “Juntamo-nos aos crescentes apelos de todo o mundo e pedimos aos membros da comunidade LGBTQIA [Lésbica, Gay, Bisexual, Transgénero, Queer, Intersexo, Assexual] que boicotem o Festival Eurovisão da Canção 2019, desde que Israel seja o anfitrião”, lê-se na carta, divulgada e subscrita por organizações de países como Alemanha, França, Estados Unidos, Bélgica, Honduras e Portugal. Este ano, o Festival Eurovisão da Canção decorre em Telavive, Israel, depois de no ano passado o país se ter sagrado vencedor do concurso, que decorreu em maio em Lisboa, com a música “Toy”, interpretada por Netta Barziliali. As semifinais do concurso estão marcadas para 14 e […]

Açoriano Oriental: Mais de 60 organizações de vários países apelam a boicote à Eurovisão em Israel