O que fazemos



Original: https://www.tsf.pt/sociedade/airbnb-em-lisboa-mais-de-4-mil-anuncios-so-em-santa-maria-maior-e-misericordia-6246452.html A freguesia de Santa Maria Maior tinha, em dezembro de 2016, 2251 anúncios na plataforma de aluguer de curta duração Airbnb, seguida pela Misericórdia com 1968 ofertas. PorSara de Melo Rocha26 Abril, 2017 • 18:03 Partilhar Facebook Twitter WhatsApp E-mail De acordo com os dados API, a interface de programação de aplicações da plataforma, a freguesia de Arroios concentra 1305 anúncios de residências para turistas, Santo António conta com 951 ofertas e São Vicente tem 856 casas para aluguer de curta duração no site Airbnb. Estas cinco freguesias concentravam 7331 anúncios da plataforma Airbnb em dezembro de 2016, contrastando com outras localidades da capital como Benfica com 62 ofertas ou Marvila com 36 residências para curta estadia. Oiça a reportagem da jornalista Sara de Melo Rocha com sonoplastia de Miguel Silva 00:0013:30 De acordo com dados de setembro de 2016, fornecidos pela junta de Santa Maria Maior, estão registados 1653 apartamentos de […]

TSF: Airbnb em Lisboa: Mais de 4 mil anúncios só em Santa Maria Maior e Misericórdia



Original: https://www.abrilabril.pt/local/o-direito-habitacao-nao-mora-aqui AbrilAbril 2 de Agosto de 2018 Os despejos tomaram conta do quotidiano de milhares de famílias, de Norte a Sul do País, motivados pela especulação imobiliária e pela legislação. Para compreender melhor o fenómeno, o AbrilAbril falou com vários especialistas e foi a Alfama.  Créditos / AbrilAbril A freguesia de Santa Maria Maior, em Lisboa, agrega os típicos bairros de Alfama, Castelo, Baixa-Chiado e Mouraria, onde a expulsão de moradores mais se tem feito notar. De acordo com as estatísticas, entre 2013 e 2017 foram cerca de duas mil pessoas, o que dá mais de um habitante por dia.  Partimos do Largo das Portas do Sol, convertido em parque de estacionamento de tuk tuks, para as labirínticas ruas de Alfama e de imediato tropeçamos nas mudanças produzidas pela especulação imobiliária e por um turismo desregulado. Pelo caminho vamos registando as alterações e as denúncias que os habitantes deixam pelo bairro, não sem sermos […]

Abril: O direito à habitação não mora aqui


Original: https://www.jornaltornado.pt/nos-centros-historicos-entram-os-ricos-e-saem-os-mais-pobres-e-vulneraveis/ A gentrificação, “uma palavra suja” que agrava o desalojamento e a segregação residencial, é retratada ao Tornado pelo geógrafo Luís Mendes, investigador do Instituto de Geografia e Ordenamento do Território (IGOT) da Universidade de Lisboa. “A habitação não é hoje vista como um direito do Estado Social mas como mero activo financeiro”, diz. O académico e coordenador do movimento “Morar em Lisboa” fala da viragem neoliberal nas políticas urbanas e recorda os últimos dados do Banco Nacional de Arrendamento: “em média, são despejadas por dia cerca de 5,5 famílias, em todo o país” 13 Abril, 2018 Isabel Guerreiro Posted in Discurso Directo Jornal Tornado: Em Lisboa e Porto, as rendas podem triplicar nos próximos dois anos. Na capital, desde 2013, a freguesia de Santa Maria Maior, por exemplo, perdeu quase dois mil habitantes. Há ordens de despejo que afectam várias famílias residentes nos bairros populares sem possibilidade de […]

Tornado: Nos centros históricos: «entram os ricos e saem os mais pobres e vulneráveis»



Original: https://www.dinheirovivo.pt/economia/deco-lei-de-bases-deve-proteger-casas-de-morada-de-familia-12683182.html Dinheiro Vivo/Lusa26 Fevereiro, 2019 • 20:24 Deco manifestou-se a favor da extinção de dívidas aos bancos quando as casas são penhoras, considerando que o risco na concessão de crédito à habitação deve ser partilhado entre o cliente e a instituição bancária. A Deco – Associação para a Defesa do Consumidor defendeu esta terça-feira, no parlamento, que a Lei de Bases da Habitação deve “ir um pouco mais além” na proteção aos despejos, abrangendo o conceito de casa de morada de família. “Sabemos de casos de famílias que, por dívidas de telecomunicações, perderam as suas casas, isso não devia acontecer”, afirmou Carolina Gouveia, jurista do departamento jurídico e económico da Deco, referindo que, neste momento, a lei apenas impede a penhora da casa de família por dívidas fiscais e contributivas. No âmbito de uma audição parlamentar sobre a criação da Lei de Bases da Habitação, que conta com projetos de PS, PCP e […]

Dinheiro Vivo: Deco: Lei de Bases deve proteger casas de morada de família


Original: https://www.timeout.pt/lisboa/pt/coisas-para-fazer/as-solucoes-para-a-crise-na-habitacao-em-discussao-no-goethe-institut A crise da habitação na Europa vai ser debatida, durante boa parte de sexta-feira, no Goethe-Institut. Por Renata Lima Lobo Publicado quarta-feira 13 novembro 2019 O debate sobre o tema do acesso à habitação tem andado aceso e esta semana pode juntar-se à conversa. “Habitação para todos na Europa – Que problemas? Quais soluções?” é o nome da conferência internacional que acontece sexta-feira sob o tecto do Goethe-Institut. Mas não precisa de perceber alemão. As línguas oficiais do evento serão o português e o inglês, com direito a tradução simultânea. A conferência Organizada pela Fundação Friedrich Ebert (criada em 1925 e próxima do Partido Social Democrata alemão, de centro-esquerda) e pelo Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, da Universidade Nova (CICS.NOVA), a conferência irá debater o impacto das políticas da União Europeia no acesso à habitação e diferentes formas de contestação e cooperação no […]

TimeOut: As soluções para a crise na habitação em discussão no Goethe-Institut



Original: https://www.cmjornal.pt/sociedade/detalhe/dezenas-de-pessoas-em-cordao-humano-contra-obras-no-martim-moniz Num protesto que até começou silencioso, acabaram por ser ouvidas frases de ordem como “a praça é nossa” e “não queremos contentores”. 2 de Fevereiro de 2019 às 18:40 Foto: Lusa 1/6 Dezenas de pessoas em cordão humano contra obras no Martim Moniz Dezenas de pessoas juntaram-se este sábado num cordão humano de protesto para exigir a suspensão imediata das obras na Praça Martim Moniz, destinadas à implementação de contentores com lojas. Num protesto que até começou silencioso, acabaram por ser ouvidas frases de ordem como “a praça é nossa” e “não queremos contentores”. Várias dezenas de pessoas juntaram-se a partir das 14h30 na Praça do Martim Moniz, no centro da cidade, num protesto convocado pela Associação Renovar a Mouraria para exigir a suspensão imediata das obras na praça, ao qual se juntaram várias outras organizações. De acordo com a presidente da associação, Inês Andrade, marcaram presença no […]

Correio da Manhã: Dezenas de pessoas em cordão humano contra obras no Martim Moniz


Original: https://www.noticiasaominuto.com/pais/1511903/habitantes-de-alfama-exigem-medidas-contra-a-gentrificacao-do-bairro  Cerca de 40 pessoas concentraram-se hoje em Alfama, em Lisboa, para exigir medidas contra a descaracterização do bairro, provocada pela especulação imobiliária e pelo turismo, pedindo rendas acessíveis para as famílias e aumento da oferta de casas. © iStock 21:31 – 18/06/20 por Lusa País Alfama Partilhar esta notícia Tweet Partilhar Os participantes na ação de sensibilização “Mais Habitação, Mais População” juntaram-se, pelas 18h00, no Largo do Chafariz de Dentro, onde mostraram cartazes — em forma de sardinha – com as frases: “Especulação rouba habitação”; “Alfama bonita, só quando há quem habita” e “Queremos casas no largo de São Miguel”. Em declarações à agência Lusa, a presidente da Associação do Património e da População de Alfama (APPA) revelou que o bairro pertencente à freguesia de Santa Maria Maior tem perdido habitantes há mais de três décadas. “Alfama já perdeu muita gente. Alfama já teve mais de 20 mil […]

País ao Minuto: Habitantes de Alfama exigem medidas contra a gentrificação do bairro



Original: https://observador.pt/2020/06/19/moradores-em-lisboa-querem-mais-restricoes-nos-voos-noturnos-por-causa-dos-atrasos/ 19 Jun 2020, Agência Lusa A Associação Morar em Lisboa defendeu “períodos de tampão” antes e depois do horário de restrição de voos, no Aeroporto Humberto Delgado, entre as 00h e as 6h, de modo a acomodar eventuais atrasos. Moradores em Lisboa defenderam esta sexta-feira “períodos de tampão” antes e depois do horário de restrição de voos, no Aeroporto Humberto Delgado, entre as 00h e as 6h, de modo a acomodar eventuais atrasos. https://s.frames.news/cards/aeroporto-de-lisboa/?article-id=1598674&publisher=observador.pt A Associação Morar em Lisboa diz que os projetos de lei do BE e do PAN para interditar a ocorrência de voos civis noturnos entre as 00h e as 6h, salvo situações de emergência, são positivos, mas critica que as situações de emergência não estejam tipificadas no documento. Falando numa reunião do grupo de trabalho sobre os voos civis noturnos, Pedro Nunes, daquela associação, defendeu que devem haver restrições entre as 23h e as […]

Observador: Moradores em Lisboa querem mais restrições nos voos noturnos por causa dos atrasos


Original: https://www.publico.pt/2020/06/23/local/noticia/rendas-acessiveis-seguras-camara-municipal-lisboa-1919044 Disponibilizar a habitação pública existente e o investimento público em habitação são as soluções inadiáveis para aumentar a oferta e reduzir o preço. 23 de Junho de 2020, 10:30 Partilhar notícia O Município de Lisboa tem em desenvolvimento dois programas de arrendamento destinados à chamada classe média e média baixa – o Programa de Rendas Acessíveis (Lisboa PRA Todos) e, actualmente, o Programa de Renda Segura (PRS). Para o primeiro, além de lhe destinar algum património seu, adquiriu recentemente alguns edifícios à Segurança Social, que esta tinha devolutos ou em vias de serem desocupados, tendo despendido umas dezenas de milhões de euros, necessários para as obras necessárias e vultosas com vista à sua utilização futura pelos inquilinos que lhes tiverem acesso. Se a utilização de património próprio é uma solução óbvia, senão mesmo obrigatória e quando muito peca por tardia, a aquisição de património à Segurança Social levanta […]

Público: As rendas acessíveis e seguras da Câmara Municipal de Lisboa