Diário de Bordo I Dia 13 I Como okupar um rio


Partilhar / Share

A Natália é a pessoa que desde o início tem estado presente neste projeto.

Foi ela que, nas primeiras incursões que realizamos, pacientemente nos explicou tudo acerca de como e onde o Jamor se forma; a importância do rio para a região, no passado e hoje em dia; quais as melhores pessoas para conversar, a fim de obter mais informações sobre a história do rio. E acompanhou o projeto sempre de forma bastante próxima, através dos muitos contactos pessoais que tivemos, ou através dos meios digitais. A Natália é, sem dúvida, uma figura chave do Como okupar um rio.

 

Foi por isso que a entrevista que lhe fizemos naquela solarenga tarde de novembro foi tão simples de fazer, e, sobretudo, prazenteira. Com apenas algumas perguntas, conseguimos organizar num único discurso todas as informações preciosas que ela nos havia dado ao longo deste tempo todo.

Para além da entrevista, ainda pudemos dar um passeio pelos terrenos da família, acompanhadas pelo marido, que nos mostrou uma das minas de água aí presentes e ainda nos deu a provar da sua água pé.

Um brinde a Dona Maria!

 

 

Deixar um comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.