2013


1
O 1º debate da história com os movimentos que organizaram as grandes manifestações dos últimos anos: CGTP — Libério Domingues, Geração à Rasca — João Labrincha, Plataforma 15 Outubro — Sofia Rajado, Que se Lixe a Troika — Joaquim Paulo Nogueira; Modera: São José Almeida, jornalista do Público 14 de Novembro de 2013 Grandes manifestações: derrotas, conquistas e desafios para as formas de contestação da actualidade. Com este debate informal, Academia Cidadã quer ajudar a criar alternativas políticas, económicas e sociais à austeridade que nos destrói como indivíduos e como comunidade. Queremos que as pessoas se juntem, saiam de casa e venham reflectir connosco para, no futuro, actuarmos melhor e em cooperação.Todos os eventos da semana serão gratuitos e organizados por um grupo de activistas da Academia Cidadã que se recusa a emigrar. Este evento integra a semana de actividades “Ocupa o espaço, torna-o Público” da Academia Cidadã, de 12 […]

GRANDES MANIFESTAÇÕES – PARA QUE SERVEM? | Vídeo do Debate


A convite da Câmara Municipal de Lisboa, a Academia Cidadã organizou e fez a facilitação do grupo de trabalho sobre Associativismo e Participação Cidadã no Fórum da Cidadania 2013 (4 de Dezembro), onde se discutiram e apresentaram recomendações dirigidas ao pelouro dos Direitos Sociais da Câmara Municipal de Lisboa.

Oficina “Participação Cidadã” no Fórum da Cidadania 2013 da CML



Produzir a própria energia e alimentação respeitando o Planeta, os animais e as pessoas é possível. Acontece em dezenas de projectos de sustentabilidade, negócios ambientalmente conscientes e eco-comunidades espalhadas de norte a sul de Portugal. Num contexto de crise, a subsistência e a boa gestão de recursos naturais ganham um novo significado. Conhecer pessoas e projectos que poupam sem desprezar o conforto, a modernidade e a tecnologia nunca pareceu tão útil. Por isso, o Laboratório-Vivo da Sustentabilidade, da Academia Cidadã, convidou quem já o está a fazer para vir a Lisboa partilhar a experiência no debate “Viver num outro Mundo”. Estiveram presentes Alfredo Cunhal, da Herdade do Freixo do Meio, que contou como é gerir uma das maiores e mais antigas quintas biológicas do país, em Montemor-o-Novo. Odemira traz-nos Martin Winiecki, de Tamera, uma eco-aldeia que é um biótopo de cura, Lucie, do Centro de Convergência, e Rita Alegria, da […]

VIVER NUM OUTRO MUNDO – encontro de eco-aldeias, projectos e ...




Conversa com propostas anti-crise A Academia Cidadã convida a participar activamente na discussão e reflexão sobre moedas sociais e economia solidária na tertúlia cidadã “Moedas Há Muitas“. A conversa terá lugar no dia 26 de Setembro, às 21 horas, na Rua Maria n.º 73 (à Forno do Tijolo), Lisboa – Metro: Anjos. A conversa entre Miguel Yasuyuki Hirota (investigador na Universidade de Valência, Espanha, e activista), Amândio Rodrigues (empreendedor social nas organizações não-governamentais Ashoka Portugal e PAR – Respostas Sociais) e todxs xs participantes da tertúlia será moderada por Ana Margarida Esteves, investigadora em economia solidária e activista da Academia Cidada. Agradecemos a divulgação e partilha  PROGRAMA: MOEDAS SOCIAIS E COMPLEMENTARES Miguel Yasuyuki Hirota (investigador, activista – Universidade de Valência, Espanha) CASO PORTUGUÊS – A MOEDA SOCIAL DE GRÂNDOLA / EXPERIÊNCIAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA Amândio Rodrigues (empreendedor social – Ashoka Portugal, PAR Respostas Sociais) MODERAÇÃO: Ana Margarida Fernandes Esteves (investigadora, activista – Academia Cidadã) Entrada gratuita.

Moedas Há Muitas


No dia 14 de abril de 2013 a Academia Cidadã foi à Voz do Operário, na Graça, para realizar a oficina-simulação “Conta-me como era a Escola”. Com a participação de 10 crianças, com idades compreendidas entre os 8 e 12 anos, esta ação, desenvolvida ao longo de toda a tarde, teve como principal objetivo a experiência, em situação simulada, de como era a escola antes do 25 de Abril. A partir da simulação, foi possível refletir acerca de alguns aspetos da Escola desse tempo, assim como compara-la à Escola de hoje. O início da oficina deu-se com a realização de dinâmicas de apresentação e de aquecimento, seguidas por um momento de avaliação diagnóstica, em que foi pedido a cada criança que escrevesse num papel, anonimamente, o que significava para si o 25 de Abril. As frases daí obtidas foram, mais tarde, discutidas em grupo. Depois, e como forma introdutória ao […]

Oficina “Conta-me Como Era a Escola”